Transtorno de personalidade borderline X transtorno bipolar: entenda a diferença

O transtorno de personalidade borderline é frequentemente confundido com o transtorno bipolar. Embora sejam distúrbios psíquicos diferentes, o fato de ambos apresentarem alguns sintomas similares acaba gerando dúvidas e confusão no diagnóstico.

A bipolaridade é um transtorno afetivo marcado por fases determinadas de mania e depressão, com períodos que oscilam humor normal e episódios de humor alterado. Já o transtorno de personalidade borderline é complexo e duradouro. Ele permeia toda a vida do indivíduo, com variações de intensidade. Em alguns momentos ele se manifesta de maneira mais forte do que em outros.

O que são esses transtornos?

O transtorno afetivo bipolar é um distúrbio psiquiátrico caracterizado por mudanças extremas no humor, que alternam crises de depressão e mania, indo do estado abatido ao eufórico sem nenhuma causa específica. Tal transtorno atinge cerca de 2% das pessoas no mundo inteiro.

O transtorno de personalidade borderline, por sua vez, é uma perturbação que leva os comportamentos ao limite, produzindo relacionamentos instáveis e atitudes arriscadas. Esse problema afeta 5,9% da população mundial.

Quais os sintomas dos dois?

Os transtornos são distintos, mas os sintomas são semelhantes. Em comum, eles apresentam manifestações como as mudanças no humor, carência afetiva excessiva, descontrole emocional, ansiedade, impulsividade, dificuldades de relacionamento, automutilação, choro, alterações do sono, comportamentos de risco, culpa, agressividade, irritabilidade, inquietação, compulsão, falta de moderação, tristeza e perda de interesse em atividades que antes davam prazer.

Quais as diferenças entre ambos?

Para começar, o transtorno bipolar é um transtorno mental, enquanto o borderline é um transtorno de personalidade. No transtorno bipolar, o humor varia em dias, semanas ou meses, normalmente seguindo ciclos. No transtorno de personalidade borderline, as variações ocorrem repentinamente, em um tempo menor, geralmente em segundos, minutos ou, no máximo, em horas.

Outra diferença é que a instabilidade emocional do transtorno de personalidade é mais recorrente, pois, até mesmo a pessoa com episódio misto do transtorno bipolar, que mescla rapidamente episódios de depressão profunda e euforia extrema, é menos inconstante do que alguém borderline.

Quem sofre com uma organização de personalidade borderline costuma não saber exatamente quem é ou o que quer, portanto, sua identidade é menos definida. O bipolar, embora apresente oscilações comportamentais e mudanças bruscas no estado de espírito, tende a apresentar uma identidade mais sólida.

São tratados da mesma forma?

Por serem transtornos diferentes, eles devem ser adequadamente diagnosticados para dar início a tratamentos específicos. No transtorno bipolar o uso de medicamentos pode beneficiar bastante o paciente.

Já no caso do transtorno de personalidade borderline, embora os fármacos possam surtir efeitos positivos, a psicoterapia é um tratamento mais eficaz e gera respostas melhores, sobretudo quando ambos estão associados.

Nos dois tipos de transtorno, a participação em grupos de apoio, sessões de terapia , terapia familiar e psicoeducação podem ser úteis para o controle, melhora e adequação dos sintomas e desenvolvimento de ferramentas para lidar melhor com os problemas.

Na prática clínica, em muitas circunstâncias é muito difícil separar um do outro e não é incomum uma organização de personalidade borderline em um individuo com transtorno bipolar.

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

plugins premium WordPress